quarta-feira, 26 de março de 2014

6º Dia - Colonia Del Sacramento / Montevideo - 180 Kms

Chegou o dia de deixar Colonia Del Sacramento. Levamos de lá ótimas lembranças, belas fotos e muita vontade de voltar lá um dia. Colonia não pode ficar de fora de uma viagem ao Uruguai. Definitivamente foi o melhor lugar que visitamos.

 
Partiu!!!!
Saimos do hotel por volta das 08 da manhã. Depois do café da manhã, claro. Tirei a moto da "garagem" do hotel. Quando fui programar a rota no meu GPS, a minha surpresa: Coloquei as rotas dentro do aparelho, porém, os mapas não vieram. Resultado: Sem navegação. Então, bora contar com a sorte e com o senso de direção. Mas não precisava de muito disso também. Na noite anterior, já havia dado uma olhada no bom e velho mapa rodoviário. E vi que era só seguir a Ruta 1. Pela qual haviamos chegado em Colonia. Saimos de Colonia e seguimos pela bela paisagem da cidade. Logo, já estávamos rodando numa pista dupla maravilhosa. Porém, com pouca sinalização. Pelo menos dos limites de velocidades. Era ficar atento nas que apareciam e curtir a paisagem. Céu nublado com algumas aparições do sol. E muito vento lateral.
Fizemos uma breve parada num posto da rede Ancap. De lá, seguimos direto para Montevideo. A entrada na cidade pela Ruta 1 é pelo porto. Uma bela paisagem. Muitos galpões antigos, alguns abandonados. Muitos caminhões e navios atracados completavam o cenário.
O nosso destino era o Grand Hotel América. Para minha salvação, aparecia no GPS o alfinete no endereço do hotel. Tentei navegar pela sorte até conseguir chegar no hotel. Porém, vi que não ia conseguir. Parei, olhei a reserva e começamos a procurar pela rua. Rapidamente encontramos.
Chegamos no hotel por volta das 10:30. O check in só poderia ser as 12:00. Deixamos nossas bagagens no hotel e fui guardar a moto no estacionamento do hotel. Como já comentei no post sobre os hotéis. O estacionamento me deixou um pouco assustado. O atendente pediu que tirasse tudo que eu podia da moto e também que travasse a moto. Mas enfim, era o que tinha. Senão tinha que deixar na frente do hotel. Uma rua movimentada bem no centro de Montevideo.
Depois disso, saimos a pé para uma breve caminhada de reconhecimento. E logo estávamos na praça da independência. Um local que simboliza a independência do Uruguai. Uma grande estátua do Artigas sentado em seu cavalo ornava o ambiente. Lá também fica o mausoléu do General, na parte subterrânea da praça. Uma construção imponente. Nas suas paredes, em alto relevo, há uma linha do tempo, contando os feitos do general. Os restos mortais do general estão lá. Guardadas solenemente por dois soldados imóveis o dia inteiro.

Monumento em homenagem ao Gen. Artigas 
 Restos mortais do Gen. Artigas
A urna funerária do General é guardada por dois soldados que não se movem o dia inteiro
Praça da Independência
Na mesma praça há a porta da ciudadela e também o Teatro Solis. E eu procurando o teatro Colón. Que fica em Buenos Aires, hahahahaha.
 Teatros Solis
Porta da Ciudadela
Montevideo é uma cidade com cara de São Paulo. E como toda capital, ainda por cima, capital do país, tem fama de violenta e perigosa. Partimos para uma caminhada até o Mercado Municipal. Pedimos informação a um local que me alertou para guardar minha câmera. Aquela região era perigosa. Isso me assustou um pouco e desistimos de ir para o Mercado. 
Uma das avenidas "peatonal" de Montevideo
Seguimos em direção à praça da Matriz da cidade.Nesta parte, estávamos na chamada Cidade Velha. Parte mais histórica, com belas construções e arquitetura imponente.  Lá também há uma feira de antiguidades. Conversamos com um feirante e falei sobre os perigos. Ele me disse que Montevideo é uma cidade perigosa como qualquer outra para quem não toma cuidado. E também nos indicou um caminho que era seguro. Seguindo pela "Peatonal", uma espécie de calçadão, que liga a outro calçadão e termina no mercado. Antes disso, visitamos a matriz da cidade. Uma igreja sensacional. Toda de mármore, com várias estátuas de santos esculpidas em madeira. Datadas dos séculos XVIII e XIX na maioria. Também há vários vitrais imponentes e também alguns padres ou cardeais sepultados lá. Recomendo a visita.
 Igreja Matriz de Montevideo
 Uma das sepulturas existentes dentro da igreja
Várias estátuas de santos 
Feira de antiguidades na praça de Montevideo

Vencemos nosso medo e seguimos para o mercado Municipal. No entorno dele, há muitas lojas de artesanatos e algumas bancas vendendo todo tipo de souvenir uruguaio. O mercado municipal é curioso. Pois estamos acostumados com mercados públicos que vendem frutas, especiarias e verduras em geral. Lá só há restaurantes dentro. Bem diferente né? Fomos abordados por um garçom que nos ofereceu uma degustação de vinhos e espumantes. Não deu outra. Ficamos lá mesmo. Depois este mesmo garçom, perguntou de onde éramos. Falamos que éramos de Blumenau. E para nossa surpresa ele disse: Futebol, Metropolitano. Nossa, ele sabia mais do time da cidade do que eu. Definitivamente elegemos a "Cabaña Verônica" como o restaurante onde experimentariamos a famosa "Parrilla" uruguaia. Foi o prato do almoço. Muito bom, vem costela bovina, frango e algumas coisas como tripa de boi e linguiça de sangue. Essas duas últimas não nos agradou. Também vem um pimentão assado na grelha. Muito bom. Tomamos um vinho e ficamos satisfeitos. Era hora de voltar para o hotel. Desta vez, pegamos um táxi. Estávamos cansados de caminhar. E posso dizer que o táxi também não foi uma boa experiência na capital do Uruguai.
Resolvemos descansar um pouco para sair mais tarde para visitar outros locais. Pois até então, achávamos que Montevideo funcionava como Colonia. As coisas abriam mais tarde e consequentemente fechavam mais tarde.Ledo engano. 
Fomos para o Mirador da cidade. Que fica no centro, no prédio da empresa de telefonia. Chegamos lá as 15:00. E já estava fechado a meia hora. 
Resolvemos pedir no centro de informação ao turista para perguntarmos onde ficava o Museo de Los andes. É o museu que conta a história dos sobreviventes do voo que partiu de Montevideo e caiu na cordilheira dos Andes. Onde milagrosamente, 16 passageiros sobreviveram 73 dias em meio à neve da cordilheira. Resultado: Também fechava as 15 horas. Ficamos bastante desapontados. Mas nem tudo está perdido.
Existe um ônibus turistico que passa por toda a cidade. Por R$45,00 você adquire um ticket que lhe dá direito de 24 horas de passeio com o ônibus. Ele tem 12 paradas pela cidade, e passa de hora em hora. Isso lhe dá condições de passear por toda a cidade e ficar no lugar que achar mais legal. Como era a última volta do ônibus, optamos por fazer o passeio quase que completo. Apenas pulamos a última parada pois era no mercado municipal. O ônibus é equipado com sistema de fones de ouvidos com tradução de vários idiomas de informações turísticas. O passeio foi muito legal e nos proporcionou um esboço geral da cidade. Montevideo é muito bonita, visitamos alguns bairros com belíssimas casas. Passamos pelo estádio Centenário, casa do governo (que o governo não mora lá), parques, monumentos, etc.
Passamos pela Rambla que margeia o oceano. Há o iate clube, golf clube, bares e boates pela costa. A cidade é muito bonita. Talvez vale a pena tirar uns dois dias para conhecer tudo.
 Passeio com o "Bus Turistico"

 Sede do Governo Uruguaio
 Olha o que achei em Montevideo
Monumentos e estátuas estão por toda a cidade

Nenhum comentário:

Postar um comentário