quarta-feira, 2 de abril de 2014

9º Dia - Santa Vitória do Palmar / Gramado - 620 kms

Era chegada a hora de deixar a casa da Sandra. Acordamos um pouco mais tarde do que de costume, devido à caipirinhas e cervejas. Afinal, ninguém é de ferro.
Tirei a moto do galpão, e o Enderson veio correndo, pediu pra eu levar ele no pasto onde estavam as terneiras. hahaha. Ele queria dar uma volta de moto. No dia anterior, já tínhamos andado. E acho que gostou da sensação. Quem sabe cativei um futuro motociclista. Ele está dando as primeiras pedaladas na sua bicicleta. Foi assim que comecei. Andei muito de bicicleta e depois continuei nas duas rodas. Mas com motor.
Olha a cara de felicidade do Enderson
Tomamos café da manhã, e partimos. Só temos a agradecer a Sandra, Rodrigo e o Enderson pelo carinho no dia que ficamos na casa deles. Era dia da festa de aniversário do Enderson, e todos pediram para ficarmos. Mas tínhamos que seguir o cronograma. (Sou chato com isso...). E lá fomos nós encarar aquela areia toda de novo. Desta vez, parecia que estava menos dificil. Acredito que como quando eu baixei a calibragem do pneu no dia anterior, não baixou o suficiente, por estar quente. Naquela noite fez aproximadamente 16°. Acredito que isso contribuiu para a calibragem diminuir ainda mais. O que fez a moto ficar mais confiável. Pilotei com mais segurança até chegarmos novamente no asfalto.
Partiu

Pegamos novamente a RS-471 e seguimos em direção a Cristal. Antes, paramos num posto próximo, para recalibrar o pneu e também abastecer a moto. Neste dia, cruzamos o banhado do TAIM. Lugar muito bonito, de paisagem bem diferente do que estamos acostumados. Porém, uma região um pouco perigosa, principalmente para motos. Tem que pilotar com muito cuidado. Animais silvestres, principalmente capivaras, estão mortas por toda a extensão da rodovia. Felizmente nenhuma cruzou nosso caminho. 
Não tiramos nenhuma foto. Pensei em rodar mais um pouco pra fotografar mais pra frente. Quando me dei conta, já tinha acabado. Fica a lição: Viu um lugar legal, não exite. Tira a foto, pois pode não se ter mais a mesma oportunidade.
Seguimos em frente, até entrarmos na BR-116. Em direção à Pelotas. Cidade mundialmente conhecida pelos seus doces caseiros. Paramos para almoçar num posto à beira da estrada. A quantidade de doces era muito grande lá também. Não resistimos. E comemos um brigadeiro de sobremesa.
Não deu pra resistir
Nesta parada, vimos dois homens numa XRE 300 e um numa Intruder 125. Vimos eles partindo, em seguida cruzamos com eles. Consegui ver a placa de uma das motos: Surubim-PE. Imagina só o tamanho da viagem desses caras. Espero que tudo esteja bem com eles.
Neste trecho da BR-116, é preciso ter muito cuidado. A estrada está em obras de duplicação. No trecho entre Pelotas e Camaquã. Há muitas máquinas, pista suja de terra e homens trabalhando. Em alguns pontos também o sentido está em mão única. Sendo necessário obedecer as sinalizações dos guias da obra.
Quando chegamos em Porto Alegre, avistamos a Arena do Grêmio na nossa frente. Não íamos lá, mas na última chance de sair para o acesso, eu virei a moto à direita e fomos lá. Só que era domingo de jogo, as ruas próximas estavam todas fechadas, e não conseguimos tirar uma foto na frente do meu idolatrado Tricolor. O negócio é voltar para a estrada. Engano nosso: Não conseguíamos chegar na BR-116 de jeito nenhum. Pedi uma ajuda para um casal que estava no sinal com uma XT660R novinha. O motociclista foi muito prestativo, pediu que o seguisse que ele ia nos levar até a BR-116. Isso que eu aprecio no mundo motociclístico, o cara saiu do caminho dele só para nos ajudar. Não perguntei o nome dele. Só tenho uma forma de retribuir ou agradecer a atenção dele: Fazendo o mesmo quando me deparar com este tipo de situação.
Abastecemos em Canoas e seguimos ao nosso destino final daquele dia: Gramado. Poderíamos ir por Taquara, via rota do Sol, ou continuar na BR-116 e ir pela Rota romântica. Decidi por seguir pela 116 mesmo. A Sara disse que este trecho se chama rota romântica, porque a cada curva é uma agarrada em mim que ela tinha que dar. hahahaha.
Era domingo, por volta das 15 horas. E uma coisa me chamou a atenção: Se não me engano em Ivoti, ou Dois Irmãos, a entrada da cidade estava cheia de gente. Com cadeiras de praia, chimarrão, carros, etc. Todos sentados no trevo da cidade. Me chamou a atenção também, o grande número de motos que vinham de Gramado sentido Porto Alegre. Eram Hornets, CBRs e outras bikes. Todas desfrutando daquele monte de curvas e de paisagens deslumbrantes. Acho que aquele povo todo, estava lá para ver as motos passarem se inclinando naquelas curvas sinuosas.
Mais à frente, havia um posto, e nele pelo menos 50 motos paradas. Era o ponto de encontro dos motociclistas. Tipo Serra Azul em Campinas, aos domingos.
Chegamos em Nova Petrópolis e decidimos tomar um café. Era final de tarde e estávamos praticamente no nosso destino final daquele dia.

De lá, seguimos para Gramado. Nosso destino: Bavaria Sport Hotel. Um hotel luxuoso, com tudo que tem direito. E por um preço bastante interessante: R$190,00 aproximadamente. Logo em seguida, fomos para a piscina aquecida para relaxar. É muito bom para relaxar a musculatura. 
Depois uma sopinha de cappeleti para fechar a noite com chave de ouro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário