domingo, 6 de julho de 2014

Moto + Serra + Amigos = Combinação perfeita

Olá pessoal, hoje vou falar um pouco como foi nosso final de semana inusitado. Decidimos em cima da hora de irmos para a serra catarinense. Acordamos relativamente tarde para uma partida de uma viagem, arrumamos algumas coisas e subimos na moto. Sem lugar para ficar e sem nem saber ao certo onde ir.. Tinha tudo para micar este passeio. Ainda mais nos meus moldes de planejar, pelo menos o básico, sair cedo, etc. Fizemos tudo diferente do de costume, saímos de casa as 09, horário que para mim é tarde. Gosto de sair entre as 05 e 6 da manhã, ao meu ver, o dia rende mais, a viagem é menos cansativa, enfim, dessa vez quis quebrar esse paradigma. E deu certo. E ainda antes de pegar a estrada, tinha que abastecer a moto e passar no banco. hahaha.
Saimos de Blumenau e decidimos ir até Bom Jardim da Serra, eu pela 11ª vez, e a Sara pela primeira vez. O tempo estava muito agradável, com temperatura na casa dos 25 graus, porém, um céu bastante nublado nos acompanhou por um tempo. Pegamos a BR-470, como sempre caótica, até Pouso Redondo me cobrou muita atenção e cuidado, nas ultrapassagens e com os inúmeros caminhões. Antes de Lontras fizemos uma breve parada, eu estava com fome, roí uma barra de cereal e continuamos nosso caminho. Após Pouso Redondo, subimos a serra da Santa e como num passe de mágica o céu abriu, sem nuvens e com um sol maravilhoso, foi uma forma de nos dizer, BOM PASSEIO! Paramos em Painel, as 12:00 para um almoço sem muito luxo num pequeno restaurante, abastecemos a moto e bora rodar novamente. A estrada está bastante ruim, com muitas ondulações e remendos diversos, um trecho bastante sinuoso nesta parte da viagem e também com algumas obras. 
Paramos no mirante dos Pinheiros em São Joaquim, porém, este encontra-se em obras, não podemos avistar a paisagem, sem problemas. Paramos no portal da cidade tiramos algumas fotos e fomos para Bom Jardim da Serra.





Antes de chegarmos no mirante da serra, paramos no Mirante da Churrascaria Cascata.



Depois das fotos, a tão esperada chegada ao Mirante da Serra do Rio do Rastro. O Local me surpreendeu muito. A estrutura está muito boa, com artesanatos, banheiros bem cuidados e até restaurante. Isso não existia até pouco tempo atrás, sem contar a instalação de novos alambrados garantindo a segurança dos turistas. O local estava muito cheio na hora que chegamos. Todos querendo fotografar aquele lugar lindo e também os quatis que estavam lá para alegria geral das crianças.










 Deixando a nossa marca do Blog

E para nossa surpresa, encontramos os primeiros amigos pela estrada. Estavam lá o Paulo Todeschini e sua esposa Jú. Foi muito legal rever o amigo, que está nos preparativos para o XIX Motoneve que começa na semana que vem. Batemos um papo que poderia levar horas se fosse possível, porém, em seguida cada um tomou seu caminho. Nós resolvemos descer a serra e o Paulo e família retornaram a Lages.



E na descida, para nossa surpresa, encontramos o Vantuir Boppre, motociclista, blogueiro documentarista e outras coisas más. Não o conhecia pessoalmente, porém, quando ele cruzou conosco, na hora o reconheci. Dei um berro e ele parou, retornamos e nos apresentamos. Cara, parecia que éramos amigos de longa data, conversamos um monte sobre claro, motociclismo. Vantuir acaba de lançar o terceiro documentário da Série Caminhos da América, onde Vantuir e dois amigos de longa data, percorrem todo o litoral do nosso país. Vale a pela conferir, visitem o blog: www.onomade.net 
Vantuir, obrigado pela atenção e pela simpatia, espero em breve repetirmos o bate papo, acho que tens muito o que me ensinar das suas experiências pelas estradas. Foi um encontro inusitado, num lugar sensacional, baita momento hein!




Depois de subir a serra novamente, fomos conhecer o Parque Eólico, que fica a pouco mais de 2 quilômetros do mirante da serra. É um conjunto de geradores eólicos, que aproveitam as boas condições de vento da região para produzir energia limpa. Para acessar, o custo é de R$5,00  por moto e também dá pra visitar o cânion Ronda, mas não fomos até lá, estava ventando muito, anoitecendo e ainda não tínhamos onde dormir.










Voltamos para Bom Jardim da Serra, a fim de encontrar algum local para dormirmos. Fomos primeiro a um hotel na cidade, que só tinha um quarto triplo, e um preço salgado para o nosso orçamento. Então, seguimos umas placas que indicavam a Pousada Santa Vitória. Fomos recebidos pela simpática D. Cleomar, que nos informou que estava com a pousada lotada por um grupo. Mas prontamente disse que ia encontrar um local para nos hospedarmos. Ela ligou para o Sr. Áureo, seu cunhado e proprietário de uma recém inaugurada Pousada, chamada POUSADA CHARME DA SERRA . A pousada é muito aconchegante, com apartamentos novos, equipados com aquecimento, bom chuveiro e uma cama muito confortável. Sem contar no café da manhã, com delícias caseiras da serra catarinense. Nos sentimos em casa fora de casa. Recomendamos a todos. O acesso é muito fácil, já na rodovia, onde há o acesso para São José dos Ausentes, a Pousada fica no lado esquerdo.
POUSADA CHARME DA SERRA
Rua Gov. Ivo Silveira, 452
Bom Jardim da Serra - SC
49-9183-1211 ou 49-9168-3850
www.pousadacharmedaserra.com.br



Depois deste belo café da manhã, seguimos para Urubici, o destino era a Pedra Furada. O dia estava muito bonito e com temperatura bastante amena para a região e época do ano, na casa dos 15 Graus. O tempo estava seco, o que fazia a sensação térmica não estar muito baixa. Uma parada no mirante de Urubici para novas fotos e conhecemos o casal de jipeiros do grupo VETERANOS NA LAMA de Palhoça, tiramos umas fotos deles, porém não perguntamos seus nomes, espero que eles vejam esta postagem e nos deixem um recado com os nomes, assim completo a postagem.



Antes de ir na Pedra Furada ou Morro da Igreja, é necessário pegar uma autorização para subir. É fácil encontrar o local na cidade, que é bem sinalizado. Para pegar a autorização basta passar a placa do veículo e o nome do motorista, depois disso é só andar os 27 quilômetros até chegar ao morro da Igreja. Era a minha terceira vez que eu ia até lá, nas outras duas, não consegui ver nada. Desta vez foi diferente, estava um tempo bastante aberto, porém a temperatura na casa dos 14 Graus e o forte vento, não deixou ficarmos muito tempo lá em cima. Mas valeu a pena, conseguimos ver a Pedra Furada, que eu já nem acreditava mais que existisse. A Sara é pé quente, na primeira vez que subiu já conseguiu ver a famosa Pedra Furada.








Descemos o Morro da Igreja, e tínhamos marcado de almoçar com nossos amigos Ricky, Rose e Márcio, faltava uma hora e resolvemos ir na serra do Corvo Branco, distante dali 15 quilômetros. Sendo 10 asfaltados e 5 de terra, porém, em bom estado. Lá fomos nós, estrada boa e ótimo lugar, muito bonito ver aquele paredão de pedra com mais de 90 metros, com uma fenda e uma estrada no meio. Impressionante saber que aquela passagem foi aberta pelas mãos do homem, literalmente, na base da picareta nos anos 60.














Chegamos de volta no ponto de encontro pontualmente as 12 horas. Logo em seguida o Ricky e a Rose chegaram, o Márcio veio em seguida com seu filho e fomos almoçar juntos aos pais do Márcio. Um belo almoço com boa conversa. Pena que o tempo era curto e precisávamos voltar para Blumenau. Fomos escoltados pelo Ricky e pelo Márcio até uma parte da viagem, depois seguimos sozinhos. Antes disso, a Sara se desequilibrou e quase que caímos, felizmente nada grave, ela apenas ficou com uma dor na perna devido ao esforço.


Andamos alguns quilômetros e a Sara estava com dor, então paramos ao lado de uma ponte pênsil, que a Sara duvidava que dava pra passar de carro ou de moto. Lá fui eu demonstrar.

Paramos em Rio para abastecer e depois encarar a fatídica BR-470. Porém, desta vez, o trânsito estava intenso, mas sem muitos caminhões. Os motoristas gentilmente dava a vez nas filas que se formavam e conseguimos chegar em casa sem maiores delongas. A viagem totalizou 770 quilômetros. Foi muito bacana fazer algo inusitado, sem planejamento, porém, cheio de belas paisagens e de encontros com amigos antigos e com novos amigos. Espero que gostem do relato e recomendo a todos que ainda não conhecem, desfrutarem da nossa serra catarinense. E pra quem já conhece, vale a pena voltar, a estrutura melhora a cada dia.

Um comentário:

  1. Patrick, muito bom teu BLOG passo aqui seguidamente.

    Essa tua TRIP sem destino e sem horário foi massa.

    Gostei da tua emoção na pedra furada kkkkkk

    Abração, Leão.

    ResponderExcluir