sábado, 28 de março de 2015

Dia 10 - Iquique - 0Kms

09 de fevereiro, uma data muito especial, pelo menos para mim. Este é o dia do meu aniversário, e em 2015 me dei de presente a realização deste sonho de ir para o Atacama de moto. Era o dia do meu aniversário, longe de casa, da minha mãe e da maioria dos meus amigos. Porém, eu estava muito feliz, pois estava realizando um sonho antigo, postergado por diversos motivos anteriormente. Também não sou hipócrita em achar que demorei para realizar, ao meu ver, tudo aconteceu no tempo que deveria acontecer. Tive como me preparar, pessoal, financeira e psicologicamente da melhor forma. Estava fazendo as coisas no tempo que tinham que acontecer. Agradeço demais a Deus por tudo. Estava tudo perfeito.
E o dia já começou com fortes emoções. A Sara me preparou uma surpresa incrível. Estávamos tomando café da manhã e ela disse que tinha um vídeo para me mostrar. Era o Biela meu amigo de Ribeirão Preto, me desejando feliz aniversário. Nossa, isso já foi demais, pois o Biela é um amigo que considero demais e ele tinha enviado um vídeo para me desejar os parabéns. Porém, não parou por aí, tinha muitos videos de amigos me desejando os parabéns. Como meus amigos já sabem, sou chorão, e não teve como conter a emoção. Chorei a cada vídeo. Foi muito emocionante, estar tão longe de todos e mesmo assim ser agraciado com tamanho carinho. Inclusive minha mãe, meu pai e meus irmãos mandaram feliz aniversário. Me senti abraçado por todos, foi demais. Agradeço a todos vocês pelo carinho, como sempre digo: Quem tem amigos, tem tudo!! Prometo editar os videos e postar aqui pra vocês verem.
O dia era de compras, fomos para a ZOFRI, uma área de livre comércio da cidade. Um grande shopping como todo o tipo de produto. Roupas, óculos, perfumes, etc. Chegamos antes das 10:00 pois eu havia me informado e o horário de abertura seria as 10:00. O nosso intuito era fazer as compras e no inicio da tarde partir para Antofagasta. Porém, ao chegarmos lá, descobrimos que só abriria as 11:00. O jeito era esperar, e também decidimos permanecer mais uma noite na cidade para no dia seguinte partir para Antofagasta.
A ZOFRI é uma tentação, a Sara me deu um óculos de aniversário. Compramos perfumes, bastão para GO PRO entre outras coisas. Já aproveitamos e almoçamos lá mesmo.
Voltamos para o hotel no início da tarde e quando chegamos na recepção, o dono do hotel veio até nós e nos disse que havia tirado as nossas coisas dos quarto e colocado no corredor. Eu não avisei que ficaríamos mais uma noite, até porque não sabíamos que ficaríamos lá. E eles estavam com reservas feitas para o dia seguinte. O Gilmar ficou preocupado e subiu correndo para os quartos para ver se as nossas coisas estavam no corredor. Imagina, capacetes, Câmeras, baús. Porém, conversando melhor com o dono do hotel, ele explicou que colocou tudo num quarto só e as coisas estavam acomodadas. Foi um momento de preocupação, pois a cidade estava cheia de turistas e seria difícil conseguir outro hotel naquela altura do campeonato. Porém, o dono do hotel foi muito prestativo. Ligou para outro hotel,  que pelo que entendi, ele é sócio, e conseguiu nos acomodar por lá. Este hotel não tinha café da manhã nem garagem, porém, ele disse que deixássemos as motos lá e que no dia seguinte viéssemos tomar café ali.
As meninas foram com ele de carro até o outro hotel, aproximadamente uns 1.000 metros dali, e nós seguimos a pé mesmo. Saímos do hotel La Gran Casona e fomos para La Casona. O Senhor Jaime nos recebeu, um chileno bastante simpático, conversamos por um bom tempo no jardim nos fundos do hotel. Uma grande casa histórica, toda reformada e com ambiente bastante acolhedor. Aproveitamos para lavar algumas roupas e estender no amplo terraço do hotel.
Fomos finalmente ver o espetáculo do por do sol no Pacífico. O Gilmar gravou em "time-lapse", foi um belo espetáculo, e bastante marcante. Estávamos do outro lado do continente, vendo o sol se por, sendo que aqui no Brasil, o sol nasce no mar. No finalzinho do por do sol, um grande navio cargueiro ficou em frente ao sol, um grande espetáculo.


Passeamos pela Paseo Baquedano, um grande calçadão com casas históricas e também com trilhos do bondinho. Que acredito que não circule mais. No inicio da Paseo, conhecemos o Casino Español, uma construção com mais de 100 anos, onde inicialmente fora mesmo um cassino, porém, atualmente é um restaurante. É uma construção muito bonita, com paredes pintadas a mão, vitrais, etc.
Jantamos num café próximo e fomos para o hotel dormir, dia seguinte Antofagasta nos esperava.





Nenhum comentário:

Postar um comentário