sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

Dia 19 - Santa Rosa x Concórdia - 937 kms

Acordamos e fomos para o café da manhã, eu já tinha organizado minhas bagagens para não mais ficar tirando todos os baús da moto. No café conversamos com vários brasileiros e a reclamação era que o câmbio de reais para pesos estava muito ruim. E estava mesmo.
Partimos antes das 08:00 ainda, abastecemos e seguimos pela Ruta 5, caminho já conhecido, pois foi por onde viemos. Muitas pastagens e campos enormes de girassóis ao longo do caminho, menos mal, pois já estava cansado de ver apenas pampa pela frente. Neste trecho, os argentinos andavam muito forte, tinha que se ter muito cuidado, pois chegavam a nos ultrapassar a mais de 150 Km/H.
Neste dia, passamos pelos arredores de Buenos Aires, uma região que me amedronta um pouco, um conhecido meu foi assaltado para aquelas bandas e pra ajudar, na hora que passei os mapas para o GPS, faltou justo daquela região.
Mais uma vez, felizmente o Edu nos salvou, guiando ao caminho de acesso para a Ruta 12. Passamos uma ponte gigante onde ao lado tem uma outra ponte onde cruza o trem e depois por mais uma.
O Calor era muito forte, na casa dos 40º, inacreditável, a poucos dias estávamos a temperaturas na faixa dos 0º e agora estávamos derretendo.
Pegamos a Ruta 12, famosa por sua policia caminera que sempre acaba por parar os brasileiros, inventar infrações e cobrar altos valores para liberar os viajantes. Felizmente, nenhum problema. Andamos forte, a meta era chegar logo a Concórdia, estávamos cansados e a Sara com muita dor no nervo ciático, sentia que ela as vezes se apoiava nas minhas costas para relaxar um pouco.
Achei um hotel no Booking, e para nossa surpresa, era as margens da Ruta 12 mesmo um mega hotel que estava lotado, com uma grande piscina e um bar muito bom. Lá relaxamos, afinal, foram 2 dias tensos. Tomamos cerveja, apreciamos o por do sol e eu e a Sara fomos numa grande loja que ficava perto, chamada "Regionales Maria" compramos Alfajores, azeites e mais algumas coisas, ainda restava espaço nos baús.
Jantamos alegremente, o final da viagem estava próximo, mas estávamos felizes. Ah, minha moto parara de dar erros no painel e estava tudo bem, graças a Deus.






Nenhum comentário:

Postar um comentário