sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Dias 14 e 15 - Ushuaia

Jantamos eu e a sara a famosa CENTOLLA, um caranguejo gigante delicioso. fomos dormir, amanheceu o dia muito frio e nevando. As motos ficaram na rua, pois não há garagem no hotel e na Maioria dos hotéis da cidade.
Fui dar a partida na minha moto e ela simplesmente não pegou. Afogava e não pegava. Deixamos a moto e fomos passear pela cidade. Primeiro fomos ao museu do presídio. Esse presídio deu início à cidade de Ushuaia. Um lugar com muita história e um ar carregado. Mas um belo passeio. 
Andamos pelas ruas e compramos souvenirs para levarmos para Blumenau. A tarde, fomos até uma concessionária da suzuki perto do hotel. O Eduardo queria trocar o óleo da moto dele. Depois de feito, o Mecanico foi até o hotel para ver a minha moto. Ele tentou e tentou e nada. Desceu a rua na contramão sem capacete e tentou dar tranco e nada. Aí ele parou numa oficina de carros e pediu o carregador de bateria. Deu uma carga maior que a da bateria e a moto pegou. Mas a bateria estava arriada. Levamos a moto para a oficina e ele colocou para dar uma carga rápida. Parecia a solução dos nossos problemas. 
Fomos até o Glaciar Martial. Uma bela montanha que estava com muita neve. Lá foi muito divertido. Até jogamos neve um no outro. 
Depois fomos até uma casa de chá na montanha. Um lugar muito caprichado e com deliciosos pratos. Comemos um bolo com doce de leite e tomamos um chá para esquentar. 

No dia seguinte o programa era ir até o parque Lapataia. Onde fica a placa do final da ruta 3 e o correio do fim do mundo. E adivinha: minha moto não ligou. Falei com um amigo que indicou o Mecanico Pablo. Fomos atrás dele e ele prontamente foi buscar a moto de caminhonete. Já na oficina, ele ligou uma bateria de caminhão na minha moto  pronto. A moto ligou. 
Lá foi ele atrás de uma bateria nova. Era 1 da tarde e a moto estava pronta. A estas alturas estávamos todos tensos. Minha moto estava com vazamento na suspensão dianteira, mas eu optei por deixar assim. Cheguei de volta no hotel e já não tinha um vazamento e sim um  escoamento do óleo. A moto do Eduardo também estava com o mesmo problema. Acho que exageramos na dose no ripio. 
Optamos por voltar ao Pablo, e irmos de taxi para o parque lapataia. O Pablo sugeriu que fossemos com o filho dele é que o valor seria i mesmo de um táxi. Fechado!
Lá fomos nós com. O Facundo, um rapaz muito simpático que nos levou a todos os lugares. Fomos também no trem do fim do mundo, mas não haviam mais passeios aquele dia. Depois comecemos a Bahia lapataia, tiramos foros e fomos para o correio do fim do mundo. Mandamos postais e pegamos o famoso carimbo do fim do mundo. Fiquei muito feliz. Ir embora do Ushuaia sem isso, teria um gosto agri doce para o passeio. Voltamos para a oficina e esperamos as motos ficarem prontas. Lá pelas 8 as duas estavam prontas. Fomos para o hote mais aliviados. Ou melhor, antes tiramos a foto na placa do Ushuaia no Porto. Momento de muita emoção. 
Jantamos e arrumamos tudo para começar a volta. 


Nenhum comentário:

Postar um comentário